Os problemas oftalmológicos afetam uma parcela importante da população em diferentes faixas etárias. De acordo com a OMS, mais de 40 milhões de pessoas no mundo são cegas e outras 135 milhões sofrem limitações severas de visão. No Brasil, a deficiência visual é a mais representativa dentre os tipos de deficiências. Fique atento a alguns problemas comuns que podem afetar a sua visão.

 

Glaucoma


Glaucoma é o aumento da pressão intra-ocular, que causa a perda progressiva da visão, sendo inicialmente periférica, depois levando a visão tubular ou até cegueira. A única prevenção é o diagnóstico precoce, através de consultas anuais com o oftalmologista, onde se mede a pressão dos olhos.

 

Catarata


Catarata é a opacidade do cristalino, que é uma lente natural do olho, e se manifesta por visão embaçada, como se a pessoa estivesse olhando por um vidro opaco. Geralmente é um problema relacionado à idade, embora exista no bebê, por problemas na gestação, por traumatismo ou uso de corticoides. O tratamento é cirúrgico, no sentido de substituir o cristalino por uma lente artificial transparente.

 

Presbiopia ou “vista cansada”


Presbiopia é causada pela diminuição da elasticidade e do poder de acomodação do cristalino. O indivíduo não percebe mais com nitidez os objetos próximos e geralmente ocorre após os 40 anos. O tratamento é o uso de óculos para perto. Interessante que os míopes podem não apresentar este problema e ao invés de colocar um óculos para ver de perto, irão retirar seus óculos de longe, para enxergar de perto, sem óculos.

 

Dicas para uma boa saúde ocular


• Conheça o histórico de sua família, pois algumas patologias são hereditárias;
• Mantenha o controle da pressão arterial e da glicose no sangue;
• Lave bem suas mãos e higienize, corretamente, suas lentes de contato (caso utilize);
• Evite esfregar os olhos, pois esse hábito pode facilitar o aparecimento de infecções;
• Evite olhar diretamente para o sol e, estando na praia ou qualquer outro lugar com alta incidência de raios solares, use óculos escuros com proteção UVA e UVB;
• Usar óculos ou lentes de contato apenas quando prescrito pelo oftalmologista;
• Não fume, pois esse hábito pode aumentar o risco de desenvolvimento de catarata e degeneração ocular;
• Oriente-se periodicamente com um oftalmologista.

 


Dr. Alexandre Ghelman, neurologista do comportamento e Diretor da Interativa Saúde.